sábado, 12 de janeiro de 2013

Advogado

A pessoa aciona o Call Center da empresa, se diz advogado(a) e exige a reabilitação imediata de um serviço que foi suspenso, senão "vai processar". O atendente informa que a suspensão ocorreu por inadimplência, mas a pessoa "versada em Direito" alega que a cobrança é ilegal e não pode ser executada, pois é objeto de processo judicial - os mais desesperados afirmam que já saiu a sentença determinando o cancelamento da dívida.

Cumprindo seu ofício, o atendente revira todas as informações do sistema, aciona a supervisão, a coordenação, a gerência do Call Center, consulta o setor jurídico da empresa e constata que não há processo judicial envolvendo aquela pessoa. Por desencargo de consciência, o atendente ainda pede ao cliente o número do processo para verificar seu andamento nas bases de dados do próprio sistema de justiça do Estado, e o cliente informa que não tem o número naquele momento.

Sem justificativa plausível para reabilitar o serviço, o atendente informa que a suspensão será mantida, escuta mais blá blá blá sobre "vou ganhar muito dinheiro em cima disso" e finaliza o atendimento. Tempos mais tarde, o "cliente advogado" continua com o serviço suspenso, está com o "nome sujo" e não processou ninguém, ou, na pior das hipóteses, foi legalmente obrigado a arcar com as despesas do processo judicial que armou e perdeu.


Dica do Operador:

Não finja ser advogado(a) nem tente ter razão quando não tem. Advogado é um profissional que efetivamente conhece o direito e as leis, ou seja, sabe quando pode ganhar uma causa e quando tem 110% de chances de perder. E em vez de usar argumentos pueris e sem fundamentação legal, um advogado de verdade investiria o tempo do atendimento na abertura do processo judicial.



Nenhum comentário:

Postar um comentário